Você está aqui:Home » Saúde » A dieta emperrou? Aprenda a empurrá-la para frente e volte a emagrecer

A dieta emperrou? Aprenda a empurrá-la para frente e volte a emagrecer

A dieta emperrou? Aprenda a empurrá-la para frente e volte a emagrecer
Share Button

E pensar que o nosso próprio corpo boicota o regime! É o efeito platô, quando o ponteiro da balança teima em não sair do lugar. Seis ideias para você vencer essa parada

Sim, é mais do que natural o ponteiro da balança ficar imóvel depois de um período de emagrecimento. E sim, isso pode acontecer mesmo quando seguimos firme com a boca fechada. Esse estágio é o que os especialistas chamam de platô. O que fazer? Em primeiro lugar, tenha calma. Se no desespero você cair na bobagem de adotar uma dessas dietas radicais tão alardeadas por aí, pode até perder peso, mas acredite: os quilos que se foram logo vão ser recuperados. Sem a menor sombra de dúvida. A menos que você adote algumas táticas, como estas sugeridas pela nutricionista Samantha Macedo, coordenadora do Atendimento de Nutrição das Academias Competition, e do professor de musculação Edmilson Kawanaka, também da mesma academia, em São Paulo.

Beba chá, muito chá
O verde e o branco são ricos em catequinas, substâncias antioxidantes que aceleram o gasto energético. E são várias as pesquisas científicas que endossam essa teoria. Uma delas, publicada no American Journal of Clinical Nutrition, revista da Sociedade Americana de Nutrição, comprovou que a queima de gordura foi 4% maior entre o grupo que tomou de 6 a 8 xícaras da bebida por dia. Além de acelerar o metabolismo, os chás também facilitam a digestão. E mais: protegem o coração, pois diminuem o colesterol ruim (LDL) e fortalecem as artérias. Até a pele sai ganhando, uma vez que as células de defesa ficam de prontidão contra os raios ultravioleta B. Em outras palavras, cai o risco de câncer nesse que é o maior órgão do corpo humano. E, para completar o kit pró-saúde, os compostos dos chás têm atuação antigripal e anti-inflamatória.

Bote mais comida no prato
Mas sem exageros! Após alguns meses de dieta, o organismo tende a se acostumar com o aporte menor de calorias e passa a encarar o cardápio magrinho como alimentação normal. Resultado: o organismo economiza no metabolismo para se adaptar a esse novo patamar calórico e… você para de emagrecer. A solução, portanto, é comer mais — um pouco mais, não custa repetir. Vale elevar o seu menu em 200 ou 300 calorias, no máximo. E por 15 dias apenas. Depois, volte à dieta anterior.

Mude a composição da dieta

O cardápio que contempla vegetais, carboidratos (de preferência integrais), proteínas e gorduras (do bem!) continua importantíssimo. O que você tem a fazer é mudar a porcentagem dos ingredientes para dar uma arrancada na queima de calorias. Se você já vem apostando bastante em verduras e legumes, experimente agora abusar um pouco mais das proteínas magras (como carnes brancas, leite e derivados desnatados). Elas demandam maior queima de calorias para serem metabolizadas. O organismo gasta, em média, 25% das calorias da proteína para digeri-la e assimilá-la, esclarece a nutricionista Samantha. O que é um feito e tanto. No caso da gordura, apenas 3% de suas calorias são consumidas nesse processo!

Cheque o que anda comendo
Poucos gostam, têm tempo ou paciência de fazer um diário alimentar. Mas, se o emagrecimento deu uma estacionada, vale a pena colocar na ponta do lápis o que você vem comendo nos últimos dias, tintim por tintim. E isso vale para os marmanjos também. Muitas vezes, a gente só se dá conta de que anda beliscando mais do que deveria depois que checa os deslizes alimentares anotados em detalhes.

Malhe diferente
Bom, se você nunca malhou, comece já, por favor. Não é novidade que a atividade física aumenta o gasto calórico e facilita o emagrecimento. Só que há um momento na vida em que mesmo o malhador de carteirinha nota que o ponteiro da balança se nega a sair do lugar. Esse é o sinal de que está na hora de fazer pequenas alterações na rotina de exercícios. Assim como acontece com a dieta, o corpo também se acostuma com a ginástica e passa a gastar menos calorias para executá-la. E aí, trocar de modalidade chacoalha e acelera o metabolismo. Ou, se preferir, peça ao professor da academia que altere a intensidade, a quantidade e o ritmo da malhação. O exercício físico regular e bem orientado, junto com a dieta, é ainda a maneira mais eficiente para se conquistar o peso ideal, afirma o professor Edmilson.

Capriche na musculação
Exercícios de força criam músculos. E músculos são tecido vivo, que queimam calorias diferentemente da gordura. Logo, isso faz o metabolismo trabalhar mais rápido, o que leva ao aumento do gasto calórico diário. Quem pratica musculação regularmente substitui gordura por massa magra, lembra Edmilson. Para aqueles que já estão acostumados a puxar ferro, aumentar a carga favorece um gasto energético maior. E lembre-se: o metabolismo masculino é mais acelerado do que o feminino, justamente porque os homens têm proporcionalmente mais massa muscular e menos gordura. Nesse caso, as mulheres precisam, mais do que ninguém, caprichar em atividades que facilitem o ganho de músculos.

Por CARLA CONTE, do portal Saúde Abril

Turbine também sua dieta com os tratamentos da Luna Ateliê de Saúde e Beleza:

  • Intradermoterapia: A Intradermoterapia é um método que permite a injeção de medicamento diretamente na área afetada, sendo recomendável para o combate à celulite e à gordura localizada.
  • Lipoescultura Gessada:  É o mais inteligente tratamento corporal para a redução de gorduras.
  • Subcisão: A técnica da Subcisão é indicada para os casos em que a celulite já está em um estágio avançado, formando buracos sobre a pele das nádegas e parte alta das coxas.
  • Radiofrequência: Indicado para tratamento de celulite e flacidez.
Share Button

Deixe um comentário

Voltar para o topo